Clique abaixo para ouvir a Rádio São Francisco direto no site

________________________________________________________

sábado, 1 de dezembro de 2007

Petrobras realiza reunião pública em Guaxindiba

A Petrobras realizou,neste sábado, 01-12-07 em Guaxindiba, no município de São Francisco de Itabapoana- RJ, a primeira de três reuniões públicas que fazem parte do Projeto de Comunicação Social (PCS) dos empreendimentos da Petrobras licenciados na Bacia de Campos. O PCS é uma condicionante do licenciamento ambiental das atividades realizadas pela companhia na região.

O objetivo da reunião foi promover o acesso da população às informações
de forma clara e transparente, visando o esclarecimento de todos a respeito
dos empreendimentos, seus impactos e respectivas medidas mitigadoras. Com este trabalho, a Petrobras busca ainda fortalecer a Rede de Comunicação para uso integrado do espaço marinho e enriquecer a troca de informações e idéias entre os pescadores, a comunidade e a empresa.

A reunião teve incício às 9h30, no Praia Clube Guaxindiba. Para facilitar
o acesso das pessoas à reunião, a Petrobras disponibilizou transporte
gratuito, com saída dos seguintes locais: - Lagoa Feia, Barra do Itabapoana,
Gargaú, São Francisco de Itabapoana, Cmpos dos Goytacazes, Farol de São Tome, São João da Barra e Atafona. As próximas reuniões serão realizadas nos dias 08 e 15 de dezembro, em Saquarema e Barra de São João (distrito de Casimiro de Abreu),respectivamente.

Fidelidade partidária, a polêmica política do momento.

Baseado em resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que regulamentou a perda de mandato por infidelidade partidária, o PSDB entrou com recurso, junto ao Tribunal Regional Eleitora, para tomar o mandato dos vereadores Carlos Alberto Azevedo e Francisco Carvalho Terra, ambos da Câmara Municipal de São Francisco de Itabapoana-RJ.

Até esta quarta-feira, dia 28 de novembro, o TRE-RJ tinha recebido processos de partidos para reaver os mandatos de 62 parlamentares. Três parlamentares que trocaram de partido entraram com requerimento no TRE-RJ para que sua desfiliação seja considerada motivada por justa causa, ficando eles livres de perda de mandato.


Em São Francisco de Itabapoana-RJ, um grupo oportunista, está distribuindo xérox do recurso protocolado com a divulgação do nome dos referidos vereadores, informando que eles serão cassados. O objetivo, ao nosso ver é repercutir um fato, que cabe recurso, na tentativa de desestabilizar a candidatura destes vereadores ao pleito de outubro de 2008.

A nível nacional, até o momento, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) informou que foram protocolados, em 18 estados, 1.773 pedidos de partidos interessados em obter de volta os mandatos de políticos infiéis. No entanto o número de pedidos deve ser maior, pois apenas 18 Tribunais Eleitorais Regionais encaminharam os dados ao TSE.

Vamos analisar o tema, que virou polêmica política em São Francisco de Itabapoana com os mais variados comentários, inclusive de que o Beto Azevedo não poderá concorrer as eleições para prefeito de 2008.

Se na pior das hipóteses, Beto Azevedo, perder o mandato de vereador, nada impede que ele concorra às eleições para prefeito. Por outro lado ele não acredita que isso venha a ocorrer.

O que dizem os especialistas políticos. “Nada acontecerá este ano. Ainda haverá regulamentação por parte da Justiça Eleitoral, depois os partidos precisam entrar com o pedido e será aberto prazo para defesa. Enquanto não transitar em julgado ninguém perde o mandato. Pode haver uma decisão concreta em três meses ou em três anos”, explicou o advogado especializado em direito eleitoral Antônio Carlos Mendes, que também é professor de direito constitucional da PUC-SP e ex-procurador regional eleitoral de São Paulo.

O advogado especializado em direito eleitoral Renato Ventura, que participou da formatação da atual Lei Eleitoral e é autor do livro “A Lei Eleitoral comentada”, também destacou que a perda do mandato não é “autoaplicável”. “Primeiro, não é qualquer político que trocou de partido que vai perder o mandato, tem algumas exceções. Se ele estava sendo perseguido ou se o partido mudou de posição, por exemplo. O TSE vai regulamentar e o candidato vai poder se defender.”

Câmara quer livrar infiéis da cassação por decreto
Em silêncio, a Câmara dos deputados aprecia um projeto de decreto legislativo que anula a resolução baixada pelo TSE em 25 de outubro, para regular os processos de perda de mandato dos políticos infiéis. Se aprovada, a proposta vai transformar em pó as 1.773 ações já ajuizadas pelos partidos políticos, para tentar reaver os mandatos de políticos que pularam a cerca, transferindo-se para outras legendas.

O decreto redentor é de autoria do deputado Regis de Oliveira (PSC-SP). Foi apresentado em 2 de novembro. Leva o número 397/2007. É curto e grosso. Tem apenas dois artigos. O primeiro anota que “fica sustada a aplicação da resolução 22.610 [...], do Tribunal Superior Eleitoral, que disciplina a perda de cargo eletivo [...]”. O segundo reza que o decreto “entra em vigor na data de sua publicação.”

O projeto de Regis de Oliveira tramita em regime de “prioridade”. No intervalo de 23 dias, foi protocolado na Mesa diretora, publicado no Diário da Câmara e enviado à comissão de Justiça. Chegou na comissão em 27 de novembro. No dia seguinte (28), nomeou-se o deputado Marcelo Itagiba (PMDB-RJ), para relatar a peça. Decorridas menos de 24 horas, o relatório já havia sido apresentado à comissão. Deu-se há três dias, em 29 de novembro.

O texto de Itagiba, agora pronto para ser inserido na pauta de votações da comissão de Justiça, anota: [...] Manifestamo-nos pela constitucionalidade, juridicidade e boa técnica legislativa, e, no mérito, pela aprovação do projeto de decreto legislativo.” Se o parecer for aprovado pela maioria dos integrantes da comissão, algo provável, a proposta vai ao plenário da Câmara.

Para justificar a anulação dos efeitos da resolução do TSE, Regis Oliveira argumenta que o documento do tribunal “invade a competência do Poder Legislativo”. Afirma que a resolução “usurpa atribuições” do Legislativo, a quem cabe, “privativamente, legislar sobre direito processual eleitoral.”

Como se recorda, o TSE só baixou a resolução que a Câmara tenta agora anular depois que o STF, julgando ações movidas pelo PSDB, DEM e PPS, decidiu que o mandato eletivo pertence aos partidos, não aos políticos. A despeito disso, Regis Oliveira esgrime a tese segundo a qual “o parlamentar deve legislar, o juiz decidir e o administrador executar”.

O decreto legislativo, instrumento escolhido pelo deputado para investir contra as decisões da Justiça, dispensa a sanção do presidente da República. É prerrogativa exclusiva do Congresso. Está previsto no inciso V do artigo 49 da Constituição. Há, porém, um detalhe. Diz o tal inciso V que o Congresso tem poderes para sustar apenas “atos normativos do Poder Executivo”. Nada diz a respeito dos atos do Judiciário.

O próprio Regis Oliveira pergunta: “Seria esta a única hipótese de sustação de atos normativos e apenas em relação aos atos expedidos pelo Poder Executivo?”. Ele mesmo tenta elucidar a dúvida: “A resposta a tal questão há de estar em sintonia com o todo constitucional. Sabidamente, a Constituição não se interpreta pela análise isolada de um de seus dispositivos, mas leva-se em conta o todo do ordenamento jurídico por ela instituído”.

“Neste passo”, prossegue o autor da proposta, “a Constituição, ao estabelecer que cabe ao Legislativo ‘zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa de outros poderes’, está a prever três hipóteses: a) zela por sua competência indo ao Poder Judiciário; b) zela pela edição de lei sobre o assunto e c) zela pela sustação dos atos”. O relator Itagiba acatou-lhe os argumentos.

Assim, ou os colegas de Regis e Itagiba dão cabo de mais esta tentativa de derrubar a disciplina que o Judiciário impôs à barafunda partidária ou a Câmara dará o dito por não dito. Se isso vier a acontecer, o novo decreto será, evidentemente, questionado no STF. E a celeuma, que já não é pequena, vai aumentar.


O vereador e presidente da Câmara Municipal de São Francisco de Itabapoana diz estar tranqüilo apesar de que, se emocionou muito durante sua participação no programa Tribuna Livre da Rádio São Francisco FM, quando o tema “fidelidade partidária” foi amplamente debatido inclusive com a participação de representantes da União de Vereadores do Paraná e da Associação de Vereadores de Valença- RJ. Na sua opinião, caro internauta, você acredita os vereadores vão perder seus mandatos?

“Amigos do Bem” na campanha de arrecadação de alimentos para o natal dos pobres.




Objetivando trabalhar em prol das familiares carentes, um grupo de estudantes do Colégio Estadual São Francisco de Paula, em São Francisco de Itabapoana RJ, fundou uma associação intitulada “Amigos do Bem”. O trabalho começa, neste natal, com arrecadação de alimentos não perecíveis. Os três participaram neste sábado, dia 01-12-07, do programa Tribuna Livre da Rádio São Francisco FM, ocasião em que divulgaram o projeto da entidade que é ajudar as famílias menos favorecidas do município. “Desejamos que as pessoas tenha trabalho, renda, estudo e uma vida digna. Mas, também sabemos que há dificuldades e pessoas passando necessidade por falta de opção. Por isso resolvemos criar o grupo “Amigos do Bem”, diz Tahis. Eles pretendem atuar também em outras campanhas. Na foto Michele ,com o microfone, e Tahis. Em outra foto o Ramadhan.

sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Blog acolhe opinião sobre proposta de legalização da prostituição.

Agradeço a você Licia, excelente análise sobre tema tão polêmico.
A prostituição é a mais antiga profissão da Terra. O corpo que Deus nos deu é todo sagrado..Não há partes mais sagradas que as outras.Há pessoas que vendem o trabalho do seu cérebro..Outras vendem o trabalho das mãos, dos braços, das pernas e se cansam com o trabalho e nem sempre o trabalho lhes dá prazer ao fazê-lo.Será que a prostitiução dá prazer a quem a pratica?..Acho que a alguns sim,mas a outros tal qual outro trabalho que é feito sem prazer, é a necessidade que faz alguém fazê-lo.Qtos prostituem o cérebro vendendo suas idéias para o mal?!Qtos usam as mãos para trabalhos que tanto mal fazem ao semelhante?!A prostituição usa o corpo humano como instrumento de venda, de comércio.Todos nós fazemos isso de alguma forma.O que deve ser questionado não é como se ganha dinheiro, mas se o fazemos com dignidade, sem ferir o nosso próximo.Há muitas profissões consideradas dignas que usurpam o povo...que lhes tira o direito de viver com dignidade, que abusam dos mais fracos e os submete a horríveis humilhações. Uma profissão organizada tende a se equilibrar, pode ser fiscalizada acabando com a "escravidão branca" e só trabalhará nela quem quiser, arcando com as consequencias dos seus deveres e direitos perante a sociedade. Não será com a falta de legalização que a prostituição deixará de existir."O escândalo é necessário, mas ai daquele por quem vier o escândalo!"(Jesus)..."Tudo me é permitido,mas nem tudo me convém"(São Paulo)..Essas premissas nos dão a senda da liberdade a seguir. Todos somos livres para fazermos o que quisermos..A cada um será dado o que lhe for merecido.O mais importante, prém,é que deixemos as pessoas tenham o direito de usar o seu livre-arbítrio. Optem por aonde e como trabalhar. Uma profissão legalizada tem as suas regras. Quem sabe assim fique menos atraente tal profissão?Só existe a profissão pq há consumidores (que se acham dignos) para o produto que "os menos dignos" vendem.

Internautas de SFI reprovam projeto de legalização da prostituição do Deputado Gabeira.

Se depender dos internautas em SFI, projeto do Deputado Gabeira para legalizar prostituição seria reprovado. De acordo com 26 internautas que votaram na enquete do Blog do Paulo Noel, 17 por cento são contra enquanto 9 por cento votariam a favor. Aguardem uma nova enquete a partir de amanhã.

Tartaruga de duas cabeças nasce no Paraná


Uma tartaruga de duas cabeças vem chamando a atenção no município de Antonina (PR). Com seis centímetros, o animal da espécie tigre d’água nasceu há 13 dias na Fazenda Reserva Romanetto.

Segundo o proprietário da fazenda, Ricardo Romanetto, essa anomalia é extremamente rara. “Temos informações de três casos no mundo: um nos Estados Unidos, um em Cuba e agora um Brasil. É mais raro que um animal albino, que já é bem raro. Em quatro anos de criação, nunca nasceu uma tartaruga albina aqui [na reserva].” (Do site G1 - Globo.com)

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Acidente na Joaquim da Mota Sobrinho entre Ford Fiesta e Moto deixa motociclista ferido.


Um acidente, ontem, (28-11-07) por volta das 23 horas, envolvendo um Ford Fiesta dirigido pelo jornalista Aurenio Nascimento e uma moto Suzuki, pilotada por um jovem de nome Mateus que reside em Campos, aumentou as estatísticas de acidentes na Avenida Joaquim da Mota Sobrinho, centro de SFI. O acidente foi no trecho da pista, onde, já ocorreram outros acidentes, inclusive, com mortes. “Fui surpreendido pela moto que estava com o farol apagado, no momento em que manobrava para entrar na Rua do Sindicato dos Trabalhados Rurais para deixar o companheiro José Maria Felizardo. Foi tudo muito rápido. A moto bateu na lateral do meu veículo cujo motociclista, com o impacto, “voou” por cima do carro caindo na pista” disse Aurenio. “Fui até ele e apoiei sua cabeça em minhas mãos e fiquei aguardando a ambulância que chegou rápido. Infelizmente, não tive como evitar o acidente”, lamentou o jornalista. O motociclista Mateus foi socorrido e, a principio levado para o Hospital Municipal Manoel Carola, em Ponto de Cacimbas. Mais tarde, foi removido para o Hospital Ferreira Machado em Campos. O jornalista Aurenio Nascimento comunicou o fato, pelo 190, a 3º Cia de Policia Militar de SFI. O jovem Mateus é sobrinho de Nira Cabeleireira, esposa do pastor Adilson Sacramento que esteve, ontem à noite, no local do acidente. Moradores da Avenida Joaquim da Mota Sobrinho continuam apelando a Emtransf – Empresa Municipal de Transito de SFI mais fiscalização do transito, em toda a extensão da avenida, tendo em vista os constantes acidentes registrados.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Guarda Civil Municipal de SFI ganha mais duas motos.


A Guarda Civil Municipal de São Francisco de Itabapoana recebeu, nesta quarta-feira, 28-11, duas motocicletas, aumentando para quatro o numero de veículos à disposição da Guarda Municipal. As viaturas serão utilizadas na preservação do patrimônio público do município e junto ao comércio local, visando aumentar a sensação de segurança. A partir do início do ano letivo de 2008, as motocicletas irão atuar, também, no projeto Ronda Escolar, que percorre as escolas com atividades operacionais e sócio-educativas.
A Guarda Civil Municipal de São Francisco de Itabapoana foi implantada em 2003 e conta atualmente em seu efetivo com 54 pessoas. Além do trabalho de preservação do patrimônio público, ela atua em conjunto e prestando apoio a órgãos de segurança pública, como a Polícia Militar.
Atualmente existe na GCM o Grupamento de Atividade Física, que desenvolve um trabalho contínuo junto a integrantes da terceira idade e, também, com alunos da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), em um total de 178 pessoas.


“O aumento da frota será importante porque irá dar mais dinamismo ao nosso atendimento, sempre com segurança e cautela”, afirma o comandante Ricardo. (Da redação com, informações via e-mail. da Secretaria Municipal de Imprensa da PMSFI para a Rádio São Francisco FM) Foto da Secretaria Municipal de Imprensa.
Opinião do Blog: vamos torcer para que, agora, a Guarda Municipal passe a fazer patrulhamento mais freqüente, também, pelas ruas da cidade com estas motos, auxiliando a Policia Militar. Aliás, está passando da hora da Secretaria de Segurança Pública destinar as viaturas novas para reforçar a frota dos DPOs da cidade, que está toda sucateada. Com relação a Guarda Municipal ela precisa se fazer mais presente nas ruas da cidade.

Resultado do censo 2007 em SFI indica mais homens que mulheres.




O chefe do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas – IBGE – Alan Aziz, participou, ontem, na sede da Ong Arco Íris de Luz, em SFI, da reunião de encerramento da CCN – Comissão Censitária Municipal. Na oportunidade, Alan Aziz anunciou o resultado oficial do censo realizado em SFI.
O total de habitantes após a contagem é de 44.475. Sendo que o resultado indicou que o município tem mais homens que mulheres. São 22.491 homens e 21.984 mulheres, num total de 23.193 domicílios. Outro dado revelado foi com relação aos estabelecimentos agropecuários que são 3.557(propriedades). O total de bovinos é de 77.181, suínos, 2.300 e aves 12.141. Após a reunião, o presidente Alan Aziz acompanhado de Valeria esteve na Rádio São Francisco FM onde fez entrega de um certificado do IBGE ao diretor da emissora Paulo Noel.
“Venho aqui agradecer a todos que participaram do trabalho do censo 2007 e especialmente os integrantes da comissão censitária. Aproveito para passar às suas mãos, um certificado conferido pelo IBGE pela sua atuação na Comissão Censitária Municipal de SFI, certificado este que foi outorgado também a todos que colaboraram para o sucesso do trabalho aqui realizado. E você e a Rádio São Francisco FM foram de fundamental importância para êxito do censo” concluiu Alan Aziz. (Alan Aziz entrega o certificado a Paulo Noel de camisa listradas)

terça-feira, 27 de novembro de 2007

SFI participa da 12ª edição da Expo Reciclar em Macaé

Cerca de 550 pessoas, entre estudantes e professores dos municípios de Casimiro de Abreu, Macaé, São Francisco de Itabapoana, São João da Barra, São Pedro da Aldeia e Conceição de Macabu, participaram da 12ª edição da Expo Reciclar na última segunda-feira.

O evento é anualmente realizado pela Petrobras para estimular o debate sobre a redução dos impactos causados pelos resíduos à natureza, através da coleta seletiva e reciclagem do lixo, entre alunos do sexto e sétimo ano do ensino fundamental da rede pública de ensino nos municípios da área de abrangência da Bacia de Campos.

Sob o tema “Lixo: Inimigo das águas”, os alunos usaram a criatividade para, a partir de recursos recicláveis, produzirem materiais para exposição em estandes, além de cenários de teatro e figurinos para desfile. Os adolescentes participaram de gincana ambiental e karaokê.

As escolas foram premiadas com troféus de participação. Já as escolas representantes dos municípios de São Francisco de Itabapoana e de Casimiro de Abreu, que ficaram em primeiro e segundo lugares na gincana, respectivamente, foram presenteadas com uma edição própria da Expo Reciclar em suas cidades, ainda sem data definida, patrocinada pela Petrobras.

Concurso - Outro destaque do evento foi o resultado da 5ª edição do Concurso Novos Talentos em Histórias em Quadrinhos, que premiou as cinco melhores histórias em quadrinhos sobre o tema ‘reciclagem de pilhas e baterias’. A vencedora desta edição, que teve 70 alunos inscritos, foi a aluna da Escola E. Municipalizada Polivalente, em Macaé, Saporana Bartyra, de 14 anos, com a história “Lali aprendendo a reciclar”.

CDL promove dia 29 próximo palestra com tema Boas Vendas e Feliz Natal.

A CDL – Câmara de dirigentes lojistas de SFI promove, no próximo dia 29 de novembro, quinta-feira, às 7 horas da noite, palestra no Shoping Mascor Gantos focalizando o tema Boas Vendas e Feliz Natal. A CDL convida, para a palestra, comerciantes, gerentes de lojas, comerciários e pessoas da comunidade interessada no tema. A participação tem o custo de uma taxa simbólica de R$5,00 para associados ao CDL e R$10,00 para quem não é sócio. O atual presidente da CDL é o comerciante Delzenir Tereza da Silva, proprietário da loja Wee Shop em SFI.

domingo, 25 de novembro de 2007

Onda de assaltos e roubo em SFI traz comandante do 8º BPM à cidade para debate em emissora de rádio sobre segurança pública.



















Moradores de SFI, preocupados com a onda de assaltos a residência, roubos de carros e motos ouviram atentos, na rádio comunitária da cidade, (Rádio São Francisco FM) as explicações do Coronel Gelesi Vieira, comandante do 8º BPM em Campos dos Goytacazes que aceitou convite da emissora para um debate sobre segurança publica no município. O coronel chegou ao município, em carro particular, pontualmente ao meio dia, conforme havia combinado com os dirigentes da Rádio. Foi numa sexta-feira, 23-11-07, no dia em que, por coincidência, a PM estava com muito serviço em Campos dos Goytacazes por conta da prisão de três homens, entre eles dois policiais militares, lotados no 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM). Eles foram detidos, suspeitos de terem praticado um roubo de carga da empresa Souza Cruz, na última quarta-feira (21), em Cardoso Moreira. Antes de entrar no estúdio da emissora o celular do Coronel Gelesy Vieira não parava. Ele somente se limitava a informar, naquele momento, que algo muito grave estava acontecendo em Campos. “Estou triste com a informação, mas vamos cumprir nosso dever e logo vocês vão ficar sabendo o que está acontecendo” disse o coronel.

O debate contou com as presenças do advogado Enaldo Vieira Barreto; da presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública de SFI, Edneia Correia Mansur Tardely e de representantes das Associações de Moradores de Santa Clara, Guaxindiba e Buena. Participou também, a gerente de um hotel na beira mar em Santa Clara Rita de Cássia e do comunicador e radialista Paulo Noel que conduziu a entrevista. Ao final do debate o Coronel Gelesy Vieira, recebeu das mãos da presidente do Conselho Comunitário de Segurança Pública de SFI um relatório completo do último encontro realizado pela entidade com a participação de autoridades e representantes da comunidade.

Rádio São Francisco FM – Coronel Gelesi Vieira, qual a área de competência do 8º Batalhão de Policia Militar sediado em Campos dos Goytacazes?

Coronel Genesy Vieira - “O 8º BPM cobre o município de Campos dos Goytacazes (cuja extensão territorial ultrapassa a 4 vezes a cidade do Rio de Janeiro), São Francisco de Itabapoana, São Fidelis, Cardoso Moreira e São João da Barra”

Rádio – As viaturas dos Destacamentos de Policia Ostensiva (DPO) de SFI estão constantemente apresentando defeitos e inoperantes. Quando teremos viaturas novas e o aumento do efetivo policial?

Coronel - Na história da PM, não só em nossa região, mas em todo o Estado do Rio de Janeiro, em qualquer época, o efetivo da Policia Militar (PM) sempre esteve abaixo das necessidades, até porque o Estado tem as suas limitações. O Estado administra hospitais e administra escolas, ou seja, não administra só a PM , e, tudo é prioridade: escola é prioridade, saúde é prioridade ,e, segurança pública, também é prioridade. Os recursos, evidentemente, eles são distribuídos de forma a atender não só a área da segurança publica. E, dentro da segurança publica a policia militar. Então, nós trabalhamos com recursos humanos e com recursos materiais que nós possuímos. E também não há renovação destes recursos em termos de efetivo e material. Quando me refiro a material, é preciso que fique claro que a PM não trabalha só com viaturas. Trabalha com coletes, com armamentos e todo o complexo de armamento que representa despesas para o Estado. Não é apenas o homem escalado para se colocar de serviço. Logicamente que num destes contextos temos que ter uma visão de gerenciamento num nível mais profundo e não como se o órgão fosse isolado de todo contexto. Ele não é. Está dentro do sacrifício a que são submetidos todos os outros órgãos públicos.

Rádio - Então o efetivo hoje está abaixo das necessidades da corporação, não é o ideal?

Coronel - O Ideal seria um policial em cada rua. Em frente de todas as escolas, de frente para todas as lojas comerciais. Quando é que nos vamos ter isto? Nem nos EEUU existe uma coisa dessas. Mas estamos evoluindo. Por exemplo: No Rio de Janeiro, já existe sistema de monitoramente nos grandes centros, onde o avanço tecnológico, trabalhando com a parte operacional do homem aplicado na pista, já se consegue suplantar o problema de falta de efetivo. E, auxilia muito, no sentido não só de prender, mas, de executar uma missão imediata e até constituindo provas em futuros inquéritos, em auxilio a policia civil.

Rádio - É a questão das viaturas?

Coronel: Com relação às viaturas, nós realmente estamos em dificuldades. Mas, a situação é a mesma em todo o Estado do Rio. A PM está adquirindo mais de 600 viaturas através do Governo do Estado, Secretaria de Segurança Publica. Estas viaturas deverão, a maior parte delas, serem aplicadas na capital. Vai ser um sistema moderno de leasing onde a PM não vai precisar consertar viaturas com defeitos ou acidentadas dentro do quartel. Por exemplo: se uma viatura “bater”, ela será enviada a uma determinada empresa, e, a empresa, imediatamente coloca outra no lugar. Se demorar muito tempo, tem que deixar uma zero para trabalhar. Vamos começar com este novo sistema, de leasing agora, no ano que vem. Além destas teremos disponibilizadas as viaturas que atuaram na força de segurança nacional durante os jogos do Pan, que já foram transferidas para o Estado recentemente. Eu, realmente não sei quantas viaturas o batalhão vai receber. Mas, com certeza, o 8º BPM não ficará de fora.

Rádio - Quantas viaturas estão funcionando hoje, em perfeito estado de conservação, nos DPOs de SFI?

Coronel - Não posso dizer que em perfeito estado. As viaturas possuem mais de seis anos de uso e elas frequentemente precisam de manutenção. Às vezes conserta-se um defeito e aparece outro. Realmente não estamos com as viaturas em perfeita condições.

Rádio - Mais o senhor, tem um numero, hoje, das viaturas em funcionamento em SFI, as que estão a serviço dos DPOs?

Coronel - Temos um numero, mas não é suficiente. Temos até destacamentos que carecem de viaturas. Muitas vezes, não temos nem outra para colocar no lugar.

Rádio - Quantos DPOs estão sem viaturas em SFI?

Resposta - Olha, na Rádio eu prefiro não mencionar. Mas, temos distritos que estão com dificuldades sem viaturas, porque nós não temos outra para substituir a que está com defeito.

Rádio - Até o verão, o senhor acredita que esta situação e esteja resolvida?

Coronel - Esperamos e acreditamos que sim.

Rádio - Os bandidos estão cada vez mais audaciosos. Tem sido freqüente assaltos à residência, fazendo as vitimas reféns, com ameaças e invasão até na luz do dia. Estas invasões, quando aconteciam nas praias, eram feitas à noite, com casas vazias só com prejuízo material. Hoje, temos vários registros com assalto a residência com pessoas dentro de casa. Uma invasão de um lar, não pode se dizer que é algo tolerável. As famílias são agredidas fisicamente e a maior incidência destes crimes vem ocorrendo em residências nas praias dos Sonhos, Sossego e Santa Clara, sem falar nos carros e motos roubados. Dois destes roubos de carros aconteceram enquanto as vitimas dormiam com os bandidos serrando correntes e cadeados de portões de garagens, para roubarem os carros. Os crimes que estão ocorrendo hoje em SFI estão comprados a crimes praticados nas grandes cidades. O que o senhor tem a dizer?

Coronel - Os senhores sabem que os PMs, que trabalham aqui na região, prenderam, recentemente, pessoas e aprenderam armas? Todos os presos estão envolvidos em roubos de casas em SFI. Ocorre, que nem sempre os flagrantes são registrados aqui em SFI. São levados para SJB ou concluídos até em Campos na 146º DP. Houve roubo de residências aqui, e os marginais foram presos lá em Travessão de Campos, no quilometro 13, e foram autuados. Em um ponto comercial, em que houve assalto com uso de violência, os ladrões foram presos, não em SFI. Mas eles foram presos, e, parte do material recuperado. Reconheço que precisamos melhorar aqui em termos do que está acontecendo. Mas, não é que os bandidos estão vindo de grandes centros. Os que foram presos não são de SFI, principalmente estes que assaltaram aqui e foram presos próximo a Travessão de Campos. São pessoas que vieram de grandes centros, maior que São Francisco, mas não do Rio vieram, de Campos.

Rádio- Há possibilidade do patrulhamento da PM em convênio com a Guarda Municipal?

Coronel- A guarda municipal tem uma missão especifica: proteger o próprio municipal e também trabalha no transito urbano. A interação, ela sempre existe, não há nenhuma dificuldade. As pessoas que estão aqui à frente da Guarda conhecem o nosso trabalho. Existe um relacionamento institucional, no caso da PM com a Prefeitura de SFI sem nenhuma limitação em termos de colaboração e auxilio mutuo. Evidentemente que o efetivo da guarda não é muito grande, tem um efetivo pequeno. Mas nós trabalhamos , principalmente no verão.

Rádio- É possível a realização pela policia de “blitz”, em frente aos DPOS, principalmente nos finais de semana objetivando inibir a ação dos bandidos?

Coronel- Não só podem como devem e nada impedem que as “blitz” aconteçam.

Rádio- Mas, o Senhor tem que autorizar as “blitzes”?

Coronel- Posso autorizar em termo de operação policial. Mas se eles (os policiais) perceberem que há alguma suspeita e resolvem fazer uma abordagem nada também impede. Eu vou conversar com o chefe de sessão de planejamento operacional, já que a comunidade esta sentido a falta dessa atividade policial.

Rádio- O Senhor tem uma previsão para resolver a situação das viaturas em SFI?

Coronel- Olha eu participo de reuniões no Rio de Janeiro, e estou ouvindo que eles vão fazer remanejamento de muitas viaturas. Poderá vir viaturas novas e até mesmo viaturas em boas condições em razão das novas que vão ser aplicadas no Rio de Janeiro.

Rádio- Mas para quando?

Coronel- Estamos esperando para muito breve.

Rádio- Viaturas que atuaram na Força de Segurança Nacional durante jogos “pan americanos” poderão vir para SFI?

Coronel- Tenho esperança que sim. Na época do Pan, ficaram duas aqui na 3º Cia do 8º BPM de SFI, que trabalharam na operação divisa com o Espírito Santo.

Rádio- Chegou ao nosso conhecimento, através de Associações de Moradores das praias de SFI que alguns quiosques da orla, depois de interditados pela Justiça Federal, estão sendo transformados em pontos de drogas e prostituição. A PM tem conhecimento destes tipos de crime? Que ação pode executar a PM para impedir mais este crime?

Coronel- É bom tomar conhecimento de alguns fenômenos que acontecem aqui, especificamente estes casos agora comentados, porque já é uma coisa previsível de que algumas pessoas dada a pratica delituosa se aproveitem da ausência dos antigos proprietários e venham a tentar utilizar a cobertura destes imóveis ou até mesmo provocar danos entrando para outro tipo de uso. Vamos monitorar isto. Vamos fazer um acompanhamento permanente de modo a que possamos detectar qualquer fato que venha a constituir um ilícito penal. Foi boa a informação que recebi.

Rádio– O 8º BPM já começou um planejamento para o verão em SFI.

Coronel: Evidentemente que sim. Talvez os senhores não saibam, mas neste final de semana não emiti “nada-opor” para eventos que estavam acontecendo aqui, além de ter, de acordo com a legislação vigente, determinado a interdição do evento. Existe toda uma burocracia a ser observada, toda uma medida de segurança a ser observada, uma legislação também, uma regulamentação. O próprio Ministério Público aqui monitora isso e nos informa também. Logicamente, que estas medidas podem atrapalhar algum tipo de comercio, mas, tem que ser feito. Na questão do planejamento para o verão, já estamos estudando. O 8º PBM não pára de trabalhar estes dados. Não temos, não vou enganar ninguém, multiplicação de homens. Os policiais nossos, quando trabalham nestes eventos de shows ao “ar livre”, eles trabalham na folga, eles são escalados nos períodos de folgas dele por questão de regime estatutário, quando agente sabe que, em qualquer empresa, a pessoa tem hora extra, adicional. Mas, o policial militar não. Não sei se vocês conhecem alguma empresa em que o trabalhador ultrapassando o horário de trabalho não ganhe hora extra. A PM que os senhores observam nas ruas, trabalhando janeiro e fevereiro, em função do bem estar social, se submete a este sacrifício em razão regime militar para atender o clamor e a necessidade publica. Eles não param de trabalhar. Até o pessoal que trabalha internamente, também sai para ser aplicado nos reforços dos policiamentos extraordinários. Quando os senhores vêm chegar um ônibus com policiais de Campos, à noite, reforçando a orla marítima em função de algum show, todos aqueles ali, estão vindo na folga. Neste verão não vai ser diferente vai acontecer de novo, porque é uma necessidade. Mas é a realidade. É importante que se entenda, que a corporação faz grande esforço para dar conta de sua responsabilidade.

Rádio- Durante o período de verão a PM chegou a montar um QG em imóvel alugado nas praias de Santa Clara e Guaxindiba de onde, estes DPOs improvisados, comandavam as operações nas praias do litoral sanfrancisco. Este ano, no planejamento de operações para o verão, vai ser incluindo estes imóveis de apoio a Policia Militar?

Coronel- A PM nunca alugou imóvel nenhum para trabalhar próximo da praia. Sempre houve um trabalho integrado com o poder publico municipal que cedia um espaço para a policia trabalhar e algumas das vezes, lá também, se abrigava a guarda municipal quando se criou a guarda. O comandante anterior a partir do momento que tomou conhecimento que existiam processos em andamento interditando os quiosques, ele não aceitou mais aqueles imóveis. Mas, se for alocado algum imóvel próximo, que não sejam estes que tenham pendências judiciais, nos não teremos nenhum dificuldade em fazer um planejamento adequando para ajustar a situação de apoio.


Rádio- Tem como a PM manter um plantão na entrada da cidade no portal? A comunidade pede, também, uma operação policial com patrulhamento e fiscalização do trecho da RJ-224 que liga a cidade até Barra do Itabapoana, numa integração das policias militar e o BPRV. É possível?

Coronel- Não há dificuldades. Vou até absolver aqui a sugestão dada no início desta entrevista. Eu acho, que podemos intensificar muito mais a fiscalização e cobrar mais as operações realizadas próximos aos locais dos Destacamentos, não só o de Santa Clara, mas todos que levam até Barra do Itabapoana que estão em posições estratégicas para realizar estas operações.

Rádio- Som automotivo e motos com descargas abertas. Tem como a PM intervir fiscalizando este tipo de ocorrência?

Coronel- Sim. Agora temos que avançar junto com a municipalidade. O ideal, e a Lei permite, é que a municipalidade estruture um depósito administrativo voltado para recolhimento dos veículos, já que a guarda municipal é encarregada do transito no perímetro urbano. Feito isso, depois de autorizações de verbas, orçamento, montando o depósito é feito um convênio junto com o comando geral da corporação em que a PM passa a atuar naquele deposito colocando até policiais para fazer o controle. O carro, ao ser recolhido, se em 90 dias não for resolvido o problema poderá o agente publico até colocar em leilão. Para resolver problema de transito, tem que haver depósito. Só a notificação não é o suficiente. É um entrosamento entre Governo Municipal, Estadual e a Policia Militar como braço desta parceria. O coronel Amiltom, presidente da Emtrasfi,(Empresa municipal de trânsito de SFI) certamente tem visão disto, e sabe como pode acontecer para dar orientação ao poder publico municipal.



Rádio- Desta entrevista, vamos recapitular os fatos positivos, de tudo que ficou alinhavado e os pedidos que foram feitos aqui na Rádio em busca de soluções para a área de segurança. Por exemplo: No portal da cidade, a implantação de um plantão policial nos finais de semana em conjunto com o BPRV, as blitzs promovidas pelos policias nos DPOs; fiscalização com patrulhamento da RJ-224, entre a cidade e Barra do Itabapoana; fiscalização dos pontos de fuga no município, chegada das viaturas para renovação da frota atual que está sucateada e aumento do efetivo policial no verão. A Rádio agradece, coronel, sua presença e a entrevista.

Coronel - Podemos avançar em tudo que foi abordado aqui, estudando a situação da aplicação do efetivo e depois fazendo os contatos necessários. Com relação ao portal da cidade, é um local que foi feito pela prefeitura para ser colocada a Guarda Municipal, para divulgar os eventos turísticos do município, mas também é um ponto que já serve para este tipo de ação. O BPRV pela posição que ocupa, do Posto de Imburi, já está contribuindo de certa maneira para prevenção, já que está no caminho por onde os turistas passam com destino as praias. Com relação a todos os outros assuntos aqui abordados, vou analisar e colocar imediatamente em prática.


Rádio – Coronel, uma última pergunta: como é que o senhor analisa o que foi passado nas telas do cinema sobre a Polícia Militar e o BOPE, no filme Tropa de Elite? É uma visão real do BOPE ou aquilo é fictício? Qual a opinião do senhor com relação a este filme que tem gerado tanta polêmica?

Coronel - Olha, o nosso comandante geral, o coronel Ubiratã, uma vez, em uma reunião com os coronéis, disse que quando lhe fizeram esta mesma pergunta ele deu a seguinte resposta: vocês estão me perguntando a respeito de uma ficção, então se é ficção, não é realidade. A policia toma suas providências, com dados em fatos reais. Os próprios autores e escritores dizem que aquilo é uma ficção. Se é ficção, então eu não respondo. Se eles, os autores e roteiristas disserem que é uma realidade, que está acontecendo, eu tenho a obrigação de responder. Mas se estão dizendo que é ficção, não tenho o que responder.