Clique abaixo para ouvir a Rádio São Francisco direto no site

________________________________________________________

quarta-feira, 22 de abril de 2015

“Crime foi passional”, diz polícia sobre assassinato de padeiro em Santa Clara


Não há relação com facção criminosa, conforme pretendia o autor, ao deixar mensagem com sangue no piso da casa: CV dívida paga.

Policiais da 147ª Delegacia Legal de São Francisco de Itabapoana desvendaram o crime ocorrido em Santa Clara, em que foi vítima o padeiro Osmar Machado Pinto, 35 anos, encontrado morto na casa onde morava, na Rua Oito de Março, em Santa Clara, por volta das 13 horas de segunda-feira, 20-04.

O pedreiro F.O.B. morador em Santa Clara, foi preso e confessou o crime.

Segundo a Polícia Civil a investigação chegou ao suspeito da prática do crime a partir da agenda do telefone apreendido do padeiro. Numa das mensagens, o padeiro era alertado pela ex-mulher de F.O.B., de quem estava separado desde março, que o ex-marido havia feito ameaças de que iria matá-lo.

CRIME FOI PREMEDITADO E ARQUITETADO PELO PEDREIRO

O pedreiro disse na Delegacia, após ser preso, que havia arquitetado todo o crime. Segundo ele, sua ex-mulher estaria tendo um relacionamento com a vítima, e isso teria sido a motivação para o homicídio.

F.O.B. confessou inclusive que premeditou todos os detalhes, desde a barra de ferro que providenciou como arma, até o pincel utilizado para escrever a mensagem em que responsabilizava uma facção criminosa como autora do crime.

Segundo a Polícia Civil, o pedreiro, após o crime, jogou a barra de ferro ao mar. Já o pincel, ainda sujo de sangue, foi entregue à Polícia Civil, que encaminhou o objeto para a perícia policial.

“Ao chegar à casa do padeiro, a vítima estava dormindo. O autor pulou o muro, passou pela porta da sala, que estava entreaberta, e deu o primeiro golpe com a barra de ferro na cabeça da vítima, para em seguida golpeá-lo até a morte”, disse um investigador da 147ª Delegacia Legal.

Em seguida, utilizando um pincel e o próprio sangue da vítima, grafou a mensagem com a intensão de desvirtuar o crime para responsabilidade de uma facção criminosa escrevendo: CV dívida paga.

O pedreiro foi preso em sua residência, na manhã deste Feriado Nacional de Tiradentes, por volta das 7 horas, e, na Delegacia Legal de SFI, confessou o crime. À tarde, por volta das 17 horas, foi transferido para a Casa de Custódia em Campos. 

Nenhum comentário: