sábado, 8 de janeiro de 2011

Dona de casa cai no “conto do paco” ao sair de agência bancária em SFI

O golpe foi aplicado por um casal que fingiu não se conhecer

Em pleno século XXI, e ainda tem pessoas inocentes, de boa fé, que acabam caindo no “conto do vigário” ou “conto do paco”.

.


A dona de casa Cristiane Andrade da Silva, conhecida por Ana, 34, casada, mãe de duas meninas moradora do Bairro do Ariticum em São Francisco de Itabapoana (RJ), foi a vítima da vez do golpe do "Paco" que ainda acontece em cidades do interior.
.
Como foi o golpe
Tudo aconteceu na tarde de sexta-feira (07), quando a Cristiane Andrade se deslocou a Caixa Econômica Federal para sacar a importância de R$510 reais, dinheiro do trabalho do marido na Praia de Santa Clara como pedreiro.
.
Era uma tarde de movimento bancário intenso, mas mesmo assim, Cristiane se lembra de um rapaz moreno alto que olhava, através do vidro, da área do auto-atendimento, caixas eletrônicos, para os clientes que estavam na fila no interior da agência. Segundo a dona de casa, tão logo sacou o dinheiro colocou numa carteira e jogou na bolsa de uma loja de calçados em SFI, onde teria que passar para trocar dois pares de sandálias das filhas.
.
Ao sair da agência percebeu que o tal elemento o acompanhava a certa distância. Em dado momento, uma mulher que assumiu a sua dianteira na Avenida Joaquim da Mota Sobrinho deixou cair uma carteira. Na hora ela gritou para a mulher: “Olha sua carteira caiu no chão”. Mas a mulher seguir fingindo não ouvir. O homem que vinha atrás também gritou e apanhou a carteira. “Você deixou cair sua carteira”, disse. Neste momento a mulher que se identificou como Márcia, parou e agradeceu comovida. “Gente, vocês não sabem o que estão fazendo por mim. Eu trabalho com jóias e meu patrão não iria acreditar que tinha perdido este cheque no valor de R$12 mil reais”, disse. A dona de casa chegou a comentar que isso acontece e seguiu seu destino.
.
Entretanto a golpista apenas iniciando a trama falou. “Mas quero recompensar vocês, com dinheiro ou uma jóia. Por favor, vocês vem comigo”, tentou persuadir a mulher. Mas a dona de casa insistiu que não queria recompensa e que precisava chegar à loja para trocar os pares de calçado das filhas. “Vocês podem seguir em frente não preciso de nada não”, comentou a Cristiane. Segundo a dona de casa, a golpista foi mais insistente. “Ela chegou mesmo a segurar no meu braço e disse que fazia questão que fosse com ela no que acabei concordando e fomos caminha até em frente a CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas que fica no mesmo prédio do Legislativo Municipal. “Senta aqui vocês dois que vou ali conversar com meu patrão, no escritório ao lado, e já estou voltando com seus presentes”, disse. Sem alternativa a dona de casa ficou conversando com o rapaz que disse ser evangélico e pessoa honesta.
.
Não demorou muito a golpista surgiu com um vale com duas opções, indicando o valor de R$100 reais ou duas jóias. “Só que o patrão dela queria conhecer agente pelo que fizemos pela loja. Mas ela pediu que primeiro fosse o rapaz, alegando que o patrão não gosta de tumulto no escritório. E assim foi: o rapaz retornou com um relógio muito boninho abraçando e agradecendo a estelionatária dizendo que ela não tinha um patrão e sim um pai", conta. Quando chegou a vez da dona de casa, a mulher pediu que ela fosse de mãos vazias e que deixasse a bolsa com ela, levando apenas o vale “Deixa sua bolsa comigo, assim como eu confiei a você os meus pertences você tem que confiar em mim”, argumentou a golpista.
.
Muito constrangida e nervosa Dona Cristiane só percebeu que havia caído em um golpe quando entrou no escritório e não encontrou o famigerado patrão. “A atendente do tal escritório não sabia informar nada sobre o assunto. Quando voltei, já não encontrei os dois e, então, percebi que realmente tinha caído no "conto do vigário". O casal levou minha carteira com documentos meus, do meu marido e cerca de 600 reais e a mercadoria que iria trocar na loja”, lamentou.
.
Disse ainda que contou com a ajuda da guarda civil municipal que percorreu a Avenida e não encontrou o casal. Na 147º DP, ela registrou a ocorrência e foi aconselhada pelo investigador de plantão a ter cuidado e, sempre desconfiar de pessoas estranhas. Finalmente Cristiane fez questão de dar esta entrevista, mais como alerta as pessoas, para que outros não caiam na mesma cilada. Ela apela, ainda, se alguém encontrar seus documentos entrar em contado com o Blog do Paulo Noel ou com a Rádio São Francisco FM.

6 comentários:

Anônimo disse...

Vai ser tonta e burra assim lá em Ariticum!!! Tá louco, meu?! Como existe gente boca aberta nesse mundo...

Carlos Teixeira - Santa Clara

Paulo Noel disse...

Olá amigo. Aqui é o Paulo Noel. Peço desculpas, mas não concordo com você quando diz, trata-se de uma pessoa burra e boca aberta. Ela foi vítima de estelionatários e teve a coragem de vir na Rádio São Francisco FM e ao Blog para alertar a população. Justamente as pessoas de boa fé, caráter e trabalhadora é que são as vítimas destes golpistas. O objetivo em divulgar esta entrevista é para alertar as pessoas, que inocentemente caem nestas ciladas.
Agora, é necessário que estejamos atentos quando um estranho se aproximar oferecendo alguma vantagem. Desconfie, estamos diante de um estranho. O importante, repetimos, é estarmos em estado de alerta sempre principalmente nas agências bancárias. Hoje, tem sido muito comum, os assaltos como ficou conhecido nas “saidinha dos bancos”. Geralmente, são dois ou três comparas. Cada um com uma função. Tem o olheiro dentro do banco, o que fica na saída com as informações, do celular, de quem viu o saque no interior da agência e um terceiro, em um carro de longe aguardando o final da cilada, dando cobertura na fuga. Agradeço o acesso, att, Paulo Noel.

Edimarcos disse...

caro paulo noel , venho informar q as praias estao sem iluminacao na orla , sem banheiro publico e sem salva vidas .oq que esta acontecendo , estao esperando alguem morrer na praia para
tomar alguma providencia , isto é um absurdo , cade nossos representantes q nao estao vendo isso .espero q vc como dono de radio q cumpra a funcao da radio e do blog , de informar tudo oq esta acontecendo no municipio .
espero que tome providencia sobre isso.

Paulo Noel disse...

Pois é Edimarcos. Como você vê, nossa responsabilidade com estes dois órgãos de imprensa cresce cada vez mais. Vamos por etapa. Primeiro: você tem razão, não há nenhuma iluminação na orla, ou seja, no calçadão. Há uma briga judicial entre a concessionária e a prefeitura segundo fui informado. Agora eu pergunto: o que tem os turistas e veranistas com essa briga? Quanto aos salva-vidas, já começaram a trabalhar neste final de semana. Pelo menos eu vi três deles hoje, pela parte da tarde, retornando do serviço. Com relação a banheiro público, o ideal seria a contratação de banheiros químicos fica a dica. Agora tem outro que acrescento que vc. não citou: o barulho ensurdecedor provocado pelos carros com som automotivo. Os comerciantes já não agüentam mais. Uma comerciante de Santa Clara disse que se até o ano que vem não derem um jeito para coibir o som automotivo perto de bares e hotéis da principal avenida, ela vai vender seu estabelecimento. E tem razão. Agradeço o acesso, Att. Paulo Noel.

Anônimo disse...

Ela com ajuda da justiça deveria pedir uma filmagem da caixa e passar para todos nos o rosto desses bandidos. Com certeza ficaria mto mais facil. Acho, que estes mesmo esterionatários seja os mesmo bandididos da tal lotação.
Merecem cadeia.

Anônimo disse...

Paulo Noel
Sobre o golpe que aconteceu com a moça ela foi a Delegacia e fez a ocorrencia,a policia Civil poderia ir a Caixa Economica e ver a gravaçao da camera de video no dia que aconteceu o golpe e ver o casal dentro da caixa Economica,talves seja pessoas da região ou não.E chamar a moça para reconhecer na gravação, não sei se pode fazer isso, mais é uma dica.